Arquivo da categoria: Clipping

CLIPPING: TRIBUNA DO NORTE

Uma maratona onde os participantes terão várias opções de chegada e caminhos a percorrer. É neste pique que será realizada a segunda edição do Circuito Cultural Ribeira, domingo, das 16 às 22h. O projeto entre a Casa da Ribeira e o DoSol liga sete pontos culturais do bairro para oferecer, cada um, uma programação que contemple música, teatro, poesia, artes e gastronomia. A 1ª edição, no carnaval, levou quatro mil pessoas. Tudo gratuito.

O evento será aberto por uma “bicicletada”, promovida pela Associação dos Ciclistas do RN, com trajeto que começa na praça André de Albuquerque e desce para percorrer todo o bairro da Ribeira. Paralelamente, os trabalhos na Ribeira já terão começado, para vários gostos. A Casa da Ribeira tem às 17h a peça infanto-juvenil “Flúvio e o mar”, às 18h30, intervenções poéticas do Poesia Esporte Clube no café da casa, e às 20h show de Heliana Pinheiro e Joca Costa. No DoSol, o tom é de rock. Começa às 15h, com exibição do filme “Flight 666”, sobre o Iron Maiden, juntamente com bazar de CDs, DVDs e equipamentos; segue então com as bandas Dr. Carnage, Distro , Monster Coyote , Calistoga ,  Digital Groove e Amp . No restaurante Central Ribeira, a cantora Camila Masiso se apresenta às 19h, com samba e jazz. O Buraco da Catita reabrirá as portas após recesso, às 18h, com apresentação do  Catita Choro e Gafieira. No Galpão Gira Dança, as portas abrem às 16h  para mostrar figurinos do grupo seguido de coreografias. No Espaço À Deriva (em frente à Casa da Ribeira), às 20h terá a performance “De Passagem”, junção música e teatro a cargo do coletivo Atores à Deriva; e em seguida bailão pós-funk com a DJ Danina Fromer. Por fim, o atelier de Flávio Freitas estará aberto para visitação às 16h, e às 18h haverá um bate-papo sobre artes plásticas.

MATÉRIA SOBRE A RIBEIRA E O CIRCUITO NO DIÁRIO DE NATAL

DIÁRIO DE NATAL

A cultura corre mais rápido na Ribeira. Se o capital das imobiliárias constrói arranha-céus em terrenos históricos da cidade, alguns bares, pubs e centros culturais revitalizam o bairro reconstruindo o gosto pela boa música e história da chamada Ribeira Velha de Guerra. Velha, cansada da Guerra que chacoalhou a cidade e transformou o bairro em quartin de pracinhas americanos sedentos pelas putas da cidade. Os bordeis glamourosos viraram ruínas, lojas, oficinas. As paredes emboloradas envelhecem junto aos cupins que devoram a história de velhos casarios abandonados. Na contramão das intempéries do tempo e do poder público, empreendedores idealistas reconstroem o bairro. E adotam no revestimento de cada prédio o emblema do bom gosto cultural.

Se nos fins da década de 90 o empresário Paulo Ubarana transformou restos de uma casa em ponto de encontro da galera alternativa no esquecido bairro, aquele Blackout de outrora se multiplica hoje em Buraco da Catita, Centro Cultural DoSol, Galpão 29, Casa da Ribeira, Consulado Bar, Cultura Clube, Central Ribeira, Let’s Rock e outros que por ventura abriram hoje ou semana passada e ninguém soube. Se a Ribeira de outrora respirava a poeira deixada pela Segunda Guerra e concentrava o nicho underground no Bingos ou no Casarão localizados na Rua Doutor Barata, o bairro histórico hoje pulsa vitalidade. Da Rua Chile a então desconhecida Rua das Virgens, passando pela avenida Rio Branco e percorrendo um circuito promissor. Continue lendo

CLIPPING: PRIMEIRA ETAPA DO CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA NA TRIBUNA DO NORTE

Yuno Silva – repórter

A palavra ecletismo foi conjugada em todos os sentidos na terça-feira de Carnaval. Quem desceu até o bairro histórico da Ribeira, pôde conferir a primeira edição do Circuito Cultural Ribeira, uma das melhores programações do período momesco com shows das bandas Trem Fantasma (rock de qualidade feito para o público infantil), Rosa de Pedra, Camarones Orquestra Guitarrística, as convidadas Canastra (RJ) e Cabruera (PB), mais a Banda de Choro do Buraco da Catita e o Baile Sem Perder O Passo, projeto da cantora Valéria Oliveira.

fotos: yuno silva
Mais de mil pessoas atenderam ao chamado da folia Sem Perder o Passo, terça no Circuito Ribeira
Mais de mil pessoas atenderam ao chamado da folia Sem Perder o Passo, terça no Circuito Ribeira

Mas, como era de se esperar, o público que lotou a rua Frei Miguelinho estava mesmo era ansioso pela performance da banda DuSouto, que encerrou a noite de maneira apoteótica. Os alicerces dos antigos casarões vibraram com a massa sonora que saia do palco e se misturava com coro de mais de mil vozes que sabiam de cor e salteado o repertório do trio Gustavo Lamartine, Paulo Souto e Gabriel Souto. Está mais que na hora do grupo ganhar o mundo!

Tudo seria perfeito se a falta de noção de uma pequena parcela do público não tivesse invadido o espaço alheio e agredido, mesmo que involuntariamente, algumas pessoas. Rodas de pogo (aquele aparente tumulto que se forma próximo ao palco) são sempre bem vindas, desde que se respeite minimamente quem está em volta! Felizmente o público é da paz e nada de grave aconteceu.

Porém, antes do show, uma surpresa: Gustavo e Paulo confirmaram presença do General Junkie durante a próxima edição do Festival DoSol, em show inédito A banda, sempre lembrada nas rodinhas onde a faixa etária gira em torno dos 30 anos, e que também traz na formação original o baterista Marcelo Costa, deve matar a saudade de uma geração que presenciou um dos momentos mais férteis do roquenrrou natalense.

O Circuito, fruto da parceria entre o Centro Cultural DoSol e a Casa da Ribeira, dois espaços que estão completando 10 anos de atividades em 2011, tem patrocínio da Conexão Vivo e a meta, nas próximas sete edições mensais (sempre no primeiro domingo de cada mês), é movimentar outros pontos que também trabalham com arte e cultura no bairro. Além do DoSol e da Casa, também estão nessa lista o Buraco da Catita, os bares Galpão 29 e Central Ribeira, a sede do grupo Gira Dança, o ateliê Flávio Freitas, entre outros parceiros.

“A partir de uma programação de qualidade e gratuita (shows, exposições, espetáculos de dança e teatro), queremos que as pessoas ampliem seus olhares para a Ribeira, que passem a frequentar o bairro e valorizar esse lugar como patrimônio histórico”, informou o produtor Anderson Foca (DoSol). A próxima edição do Circuito Cultural Ribeira acontece dia 3 de abril.

[Tribuna do Norte] Carnaval independente será na Ribeira

Centro Cultural DoSol, tradicional espaço roqueiro do bairro, será palco da Chamada Carnavalesca e de eventos, como o Baile das Kengas

Maria Betânia Monteiro – repórter

Independente dos desfiles oficiais e programação da Prefeitura, um endereço este ano promete ferver no carnaval. A Ribeira ganhará uma séries de eventos culturais carnavalescos (ou não), a partir das próximas semanas até março, quando chegar o reinado de Momo.  Para começar, uma parceria inédita entre os espaços culturais Dosol e Casa da Ribeira promete agitar a terça-feira de folia (08/03), num dos bairros mais antigos da cidade. Mantendo a proposta de garantir a diversidade cultural, o ‘Circuito Cultural Ribeira’, promovida pelo Dosol durante três anos, a festa chega à quarta edição revista e ampliada e com a parceria da Casa da Ribeira. E há mais. A Ribeira também será o palco do baile das Kengas, dia 19 de fevereiro, em três lugares: Armazém Hall, DoSol e Rua Chile. Outro que desce a ladeira será o Baile da Ribeira, já no próximo dia 26 de fevereiro.

Seja na promoção de festivais ou de shows de fim de semana, o Dosol está há 10 anos fazendo parte do cenário cultural de Natal. A mesma idade tem o teatro e espaço cultural Casa da Ribeira. Comemorando uma década de atividades, a dupla abre a festa para todos os potiguares.

Para a terça de carnaval, o roteiro de shows já está definido e vai contar com artistas potiguares e de outros estados do Brasil. São eles: Canastra (RJ), Cabruera (PB), Camarones Orquestra Guitarrística, Dusouto, Baile Sem Perder O Passo (Valéria Oliveira & Rosa de Pedra), Trem Fantasma e Banda de Choro do Buraco da Catita. Os shows acontecem em dois palcos armados na Rua Frei Miguelinho, em frente a Casa da Ribeira.

Toda a movimentação do carnaval é só o marco zero das atividades do Circuito Cultural Ribeira, ação de ocupação do bairro que vai acontecer durante o ano todo e que terá suas atividades ampliadas sempre no primeiro domingo de cada mês. A ação é patrocinada pela empresa de telefonia Vivo com o apoio do projeto Conexão Vivo através da lei Câmara Cascudo.

Bazar na rua, casas de cultura e entretenimento do bairro abertas de maneira gratuita, artistas circulando e se apresentando, palestras, debates, filmes, teatro, música, dança, culinária. Vai ter de tudo.

Um dos idealizadores do evento, o produtor cultural e músico Anderson Foca, diz que a partir do primeiro domingo de abril, todos os estabelecimentos voltados para a cultura no Bairro da Ribeira – Nalva Melo Café Salão, Galpão 29, Grupo Atores à Deriva, Gira Danças –  abrirão as suas portas para receber uma programação cuidadosamente planejada. “Será um grande domingo na praça, só que em todo o bairro”.

O objetivo do circuito cultural é levar para população uma Ribeira atuante, comprometida com cultura. “A nossa ideia é que pessoas diferentes passem a frequentar o bairro”, revelou Anderson. O produtor lembra que a Ribeira, no final do ano passado foi Tombada como Patrimônio Histórico do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-IPHAN. “A gente quer mostrar para a população, o que o bairro tem de bom”.

Baile das Kengas e Baile da Ribeira

O baile das Kengas do dia 19 será um dos mais quentes e diferentes de toda a longa história das moçoilas. A festa será dividida em três ambientes: no Armazém Hall, com Orquestra Dom Cardoso, Kelly Wange e Isaque Galvão; festa eletrônica no DoSol, com DJs Bee, Paulino Chacon e Gabriel; e a rua Chile transformada em lounge.

Já o estreante Baile da Ribeira vai esquentar Largo da Rua Chile a partir das 23h, do dia 26. A noitada terá o comando da banda DuSouto e do projeto musical inédito Carnaval do Meu Amor, guiada pelo trio de cantores Simona Talma, Luiz Gadelha e Eugênio Bezerra. Gadelha e Eugênio vestirão novas roupas nas marchinhas de carnaval, que marcaram outros reinados de Momo. O Baile da Ribeira também terá o ‘baticum’ da música eletrônica com a discotecagem dos descolados DJs Paulo Souto, Gabriel Sodré e Biel Carvalho.

Segundo Kadu Severiano, um dos idealizadores do evento, além da música, o ambiente vai ter um toque especial. Para dar novas cores e formas ao Galpão 29, a turma do Baile da Ribeira convidou Clodoaldo Bahia. A luz fica por conta de Castelo Casado. “A gente quer deixar o evento, no calendário, da Ribeira”. A proposta do baile é juntar todas as tribos, desde os que gostam de marchinhas ate a house music .

Serviço:

Baile das Kengas (19/2, a partir das 22h) em três ambientes: Armazém Hall, DoSol e Rua Chile. Desfile das Kengas (6 de março, a partir das 16h), na R. Vigário Bartolomeu com Ulysses Caldas. Informações: 3211-8589 e 9409-4440 com Lula Belmont.  Baile da Ribeira (26 de fevereiro, a partir das 22h), no Galpão 29, Largo da Rua Chile. Senhas antecipadas (R$ 30 inteira e R$ 15,00 meia) na Chilli Beans. (Informações 9911-1161 e 8853-2250).

Circuito Cultural Ribeira – 1ª Etapa (8 de março), na Rua Frei Miguelino, em frente à Casa da Ribeira, a partir das 16h. Entrada gratuita.