Arquivo da categoria: Clipping

CLIPPING: VIRADA NATAL NA TRIBUNA DO NORTE

A Virada começou mais cedo

Teatro, balada, cinema, performance, cortejo, e algo mais estão no roteiro da Virada Cultural Natal, uma programação especial a partir do já conhecido Circuito Cultural Ribeira, que desta vez irá se desdobrar em dois dias – sábado e domingo – para celebrar sua despedida de 2013 com uma série de atrações espalhadas pelas ruas do velho bairro. O acesso é gratuito.

Rodrigo SenaVirada Cultural: O Arquivo Vivo toca no Armazém HallVirada Cultural: O Arquivo Vivo toca no Armazém Hall

A Virada está privilegiando a música na programação. No sábado a programação é a seguinte: no Armazém Hall, a partir das 19h terá as bandas Pedubreu, Arquivo Vivo, MC Priguissa, Sangueblues, e Orquestra Boca Seca.

No DoSol, só rock de 18h3o em diante, com Inflamáveis ,  The Velociraptors, Sexy Drivers (PE), Camarones Orquestra Guitarrística, Red Boots, Riveros, Far From Alaska, Declite e Deluge Master.

http://tribunadonorte.com.br/noticia/a-virada-comecou-mais-cedo/269084

CLIPPING: VIRADA NATAL NO NOVO JORNAL!

CULTURA | Para virar Natal

por Redação

/ PROJETO /  PRODUTORES LOCAIS SE ORGANIZAM PARA REALIZAR VIRADA CULTURAL NA CAPITAL POTIGUAR. BASE DA PROGRAMAÇÃO É TODA COMPOSTA POR ARTISTAS LOCAIS

Vinte e quatro horas ininterruptas de programação cultural, tudo de graça. Um sonho pensado há alguns anos por Anderson Foca e demais articuladores culturais da Ribeira que agora vira realidade já que entre os dias 15 e 16 de dezembro, junto com a última edição do Circuito Cultural Ribeira em 2012, Natal vai viver a sua primeira Virada Cultural.

E antes que comecem as comparações, a cidade não vai ter uma Virada Cultural similar à realizada em São Paulo desde 2004 e que virou referência para as demais espalhadas pelo país. A primeira diferença começa na valorização da arte local e a segunda se dá com a desvinculação do evento do poder público, como explica o produtor cultural Anderson Foca. A virada cultural de São Paulo é organizada pela secretaria municipal de cultura.

“A gente está tentanto fazer a virada há uns 3 ou 4 anos, mas não queríamos que isso partisse do governo, que ele financiasse, colocasse os shows e ficasse por isso mesmo. Queríamos algo mais orgânico, com a iniciativa partindo dos próprios agentes”, diz.

Agora, a meta é conseguir os patrocínios necessários, muito embora o projeto da Virada já esteja inscrito na Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura. “Mas ainda não foi aprovado”, comenta. Foca avalia que seria necessário cerca de R$ 500 mil para a realização de uma Virada Cultural nos moldes ideiais em uma cidade como Natal. No entanto, atualmente eles contam com pouco mais de 10% deste valor. “É claro que se tiver a possibilidade de trazer um artista grande nós vamos tentar. Mas o foco não é esse, e sim, colocar os nossos artistas para fazerem essa virada acontecer. Temos gente o suficiente para isso”, afirma.

Caso mais parcerias sejam fechadas, a ideia é investir na ampliação do foco artístico, ou seja, além da Ribeira, a Cidade Alta poderia entrar na programação também. “Existe uma possibilidade, mas o que temos hoje é para a Ribeira. Tomara que mais gente se empolgue e que a gente possa levar isso para outros lugares, mas por enquanto não é o caso”, diz Foca.

Os próximos investimentos servirão também para garantir o palco principal nos moldes do que é montado no Agosto da Alegria em frente ao largo do Teatro Alberto Maranhão. “Seria a porta de entrada da Virada e a ideia é que ele funcione 24 horas”, comenta.

A Virada Natal surge em um momento decisivo no cenário político da cidade, o fim da gestão da prefeita Micarla de Sousa. Por isso mesmo, Foca chama atenção para uma particularidade do evento; a de resgatar a relação entre cultura e poder público.

“A nossa virada tem um viés muito mais simbólico. Não é somente uma festa, não estamos preocupados apenas com o artista que vem ou que vai deixar de vir. Queremos uma virada de pensamento. A cidade está prestes a passar por uma mudança no poder e isso vai refletir diretamente na cultura durante os próximos anos. Precisamos de uma virada de comportamento”, argumenta.

Embora ainda seja um pouco cedo para preencher a programação, Foca adianta que no domingo pela manhã as atividades devem ser mais lúdicas, estimulando o lazer e o bem estar, por exemplo. “Estamos pensando em uma bicicletada, aulas de Yoga, tai chi chuan e coisas do tipo”, sugere o produtor comentando ainda que o principal empecilho para a realização da Virada Cultural nos anos anteriores foi mesmo a questão do financiamento.

“Não estamos tentando fazer uma virada de São Paulo. Não é por aí, temos que fazer a nossa, do nosso jeito até porque não foi São Paulo que inventou a virada, existe na Europa há bastante tempo. Acho que será um momento para colocarmos a nossa criativade e inspiração para funcionar”, conclui Anderson Foca.

CLIPPING: HOJE TEM LANÇAMENTO DO SELO RIBEIRA – TERRITÓRIO CRIATIVO – TRIBUNA DO NORTE

http://tribunadonorte.com.br/noticia/movimento-ribeira-territorio-criativo-ganha-selo-proprio/230720

A Ribeira ganhou um selo para garantir sua memória e conservação. Através de uma iniciativa do Circuito Cultural da Ribeira, será lançado hoje o ‘Selo Ribeira Território Criativo’, projeto que promoverá a movimentação cultural do velho bairro através de uma série de ações ao longo do ano. O lançamento será às 19h, na Casa da Ribeira, e contará com a presença de Renato Schattan, coordenador de Territórios Criativos do Ministério da Cultura, e Fábio Almeida, chefe da Representação Regional Nordeste do MinC.

Adriano AbreuProjeto nasceu junto ao Circuito Ribeira e ganhou força entre os coletivos artísticos e comerciantesProjeto nasceu junto ao Circuito Ribeira e ganhou força entre os coletivos artísticos e comerciantes

Segundo Henrique Fontes, diretor artístico da Casa da Ribeira, a ideia é seguir a máxima que diz “a gente só ama aquilo que conhece”. “Queremos que as pessoas conheçam mais a Ribeira, saibam sua história, a importância de seus casarões, e da vida cultural, e que possam ter a vontade de proteger e cuidar dela, algo que as gestões políticas que passam não têm feito”, diz. O lançamento já faz parte de uma primeira ação, já que Renato Schattan falará sobre ‘economia criativa’, assunto pertinente à vida útil do bairro.

O selo pode ser o embrião para a criação de um projeto real de economia criativa para a Ribeira. A cada edição do Circuito Cultural, será realizada uma ação do Território Criativo. Henrique Fontes cita a realização de seminários, e a criação de marcos físicos, obras que serão instaladas em pleno bairro, para chamar a atenção das pessoas. O artista plástico Guaraci Gabriel está entre os nomes que deverão fazer uma das suas chamativas intervenções na área.

O Selo Território Criativo pretende agregar informações para “energizar” o bairro, tendo como prioridade o debate sobre educação primordial, através de vivências, debates, atividades de pensamento e a criação dos marcos simbólicos. No dia do lançamento, além do Diálogos Criativo puxado por Renato e Fábio, haverá a assinatura coletiva ao termo de parceria e adesão dos espaços culturais que já participaram do Circuito Ribeira, e das empresas interessadas em agregar valor e contribuir com ações criativas. “Este é um movimento que vai estimular o desenvolvimento local, pois vai atrair pessoas, empreendimentos e qualificação”, disse Renato Schattan.

Serviço:Lançamento do Selo Ribeira Território Criativo. Quarta, às 19h, na Casa da Ribeira. Aberto ao público. Tel.: 3211-7710.

CLIPPING: CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA NO JORNAL DE HOJE

Bazar cultural acontece neste domingo no circuito cultural Ribeira

A partir das 16h do próximo domingo (12), o Náutico Sport Club abre as portas para receber o Bazar Cultural, evento promovido por alunos de Produção Cultural do IFRN Cidade Alta, que em sua 3ª edição vai cruzar as fronteiras do Campus e fará parte da programação do Circuito Cultural Ribeira.

Mas as novidades não param por aí. O Bazar Cultural a partir deste mês passará a ter uma periodicidade acontecendo mensalmente, integrando a programação do Circuito Cultural Ribeira. “Tivemos várias reuniões com Anderson Foca (produtor do Circuito), que foi muito receptivo com o nosso projeto e concordou em agregar o Bazar ao Circuito Cultural”, comentou Felipi Faria, produtor cultural e coordenador do projeto.

Para esta edição, além da parceria com o Circuito, a organização do Bazar Cultural conseguiu apoio do Náutico Sport Club (em frente ao Armazém Hall – Rua Chile), que abrirá o espaço para abrigar o evento, que além da troca, venda e compra de produtos variados, contará com discotecagem. A entrada é gratuita, como todas as atividades oferecidas pelo Circuito Cultural Ribeira.

 

EXPOSITORES

Visando selecionar os produtos a serem oferecidos, os coordenadores do Bazar farão uma inscrição prévia (R$ 5) para os expositores. Haverá também uma seleção, no intuito de evitar a venda de produtos repetidos na limitação do espaço reservado. Para participar como expositor o interessado deve enviar nome, telefone e o que pretende colocar na banquinha para o e-mail bazarcultural@live.com. Mais informações pelo             (84) 9936-7112      .

AQUECIMENTO: CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA – SIMONA TALMA NO DIÁRIO DE NATAL

Multifacetada Simona Talma

Com acesso gratuito, Centro Cultural Dosol será palco, domingo, para o lançamento do segundo solo da eterna “vagal”
Sérgio Vilar
sergiovilar.rn@dabr.com.br

 

A cantora e compositora Simona Talma retoma o trabalho solo após um ano de trabalho dedicado à banda Talma&Gadelha. Nada de volta às origens do jazz-blues, da música melancólica, intimista e poética, marcantes em seus primeiros trabalhos. Aliás, a pitada de blues está presente, mas de forma mais solta e menos triste. A maioria das canções do álbum Bang é dela. São canções reunidas desde 2006, no intervalo de sete anos do primeiro CD para o segundo, todas inéditas.


Disco reúne canções inéditas compostas desde 2006. Trabalho será paralelo ao projeto Talma&Gadelha. Foto: Pedro Andrade/DN/Divulgação

O álbum é mais pop? Talvez. Menos blues? Não. Mais solto do próprio eixo do blues, porém bem vívido nessa essência. Agora resta ouvir a evolução da cantora, da compositora e perceber os caminhos sentidos de lá pra cá, as partidas e retornos. São dez faixas, sendo oito de produção assinada por Anderson Foca e duas por Henrique Geladeira, passeando pelo Rock, Rocksteady, Blues, Rockabilly, Jazz e Rhythm and Blues, por temas como o amor incondicional, universal e a causa negra.

Aos fãs da Talma&Gadelha, nada depreocupação. O trabalho de divulgação do novo álbum será concomitante aos shows e compromissos da banda. “Não faço ideia de até quando irei divulgar o Bang. Depende do público e do que eu conseguir fechar de show. Sei que não vou parar o T&G pra fazer o solo. Faço tudo junto. E já estamos trabalhando no segundo disco da banda”, adianta Simona, ainda sem a definição da música de trabalho do álbum solo.

O Show de lançamento do álbum Bang acontecerá neste domingo, dentro da programação do Circuito Cultural Ribeira. O palco será o Centro Cultural DoSol, a partir das 21h30. Entrada gratuita. E não poderia ser outro local. Anderson Foca foi o responsável pela produção do álbum solo e também pelo lançamento do CD Matando o Amor, da banda Talma&Gadelha – projeto que Simona ressalta voltar em breve com novo disco. O CD está disponível para download no site do DoSol: www.dosol.com.br.

Talma & Gadelha

Simona e Luiz Gadelha parecem ter se encontrado, se completado após carreira solo de sucesso no plano local. Recolheram composições antigas sem identificação em seus trabalhos solos e um desejo em comum: fazer rock, com a simplicidade que ele traz, com a atitude, mas falando de amor, como sempre. Reuniram um time roqueiro e, a convite do produtor Anderson Foca, através do Projeto Incubadora, e com produção do próprio Anderson, “mataram o amor” no álbum de estreia.

Foram viagens, clipes, prêmios, boas indicações em listas do Nordeste, projetos importantes como: Pratas da Casa do Sesc Pompéia(SP), TV Trama Virtual, Feira da Música de Fortaleza, Festival Bananada (GO), Rock Cordel do BNB Cultural (CE) e (PB), Prêmio Hangar, Prêmio Cultura Potiguar, entre muitas outras conquistas.

Carreira de 12 anos e três discos


 

Simona Talma já conta 12 anos de carreira e três discos lançados: A moça mais vagal que há (Solo – 2005), Pra que serve a música? (Projeto Retrovisor – 2007) e Matando o amor (Talma&Gadelha – 2011). Nos três últimos meses esteve dedicada ao caminho trilhado há pouco mais de um ano, quando cantava e se apresentava sozinha. Mais uma iniciativa do Projeto Incubadora do Combo DoSol. Um segundo disco totalmente diferente das origens da cantora.Embora as composições surjam dessa solidão, são inúmeros os colaboradores e parceiros que se jogaram na empreitada, a começar pelos compositores: Khrystal, Luiz Gadelha, Fernando Suassuna (Mad Dogs) e Clara Pinheiro (Clara e a Noite e Orquestra Boca Seca). Tocando e colaborando com os arranjos: Willames Costa (Baixo acústico, pianos e acordeom), Toni Gregório (Guitarras, violões e bandolim), Daniel Garça (Bateria), Micael Martins (Gaitas), Henrique Geladeira (guitarras, baixo), além da participação especial de Clara Pinheiro (vocais) e Michelle Régis (vocais).

CLIPPING: AS PRIMEIRAS 36 ATRAÇÕES (CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA NO DIÁRIO DE NATAL)

As primeiras 36 atrações

Circuito Cultural Ribeira apresenta, neste domingo, a primeira leva dos selecionados em seu edital
O Circuito Cultural Ribeira 2012 começa neste domingo e prossegue até abril de 2013, com intervalo em janeiro. Regularidade mensal (a cada primeiro domingo de cada mês) e atrações variadas, selecionadas por edital e bancadas via Lei Câmara Cascudo, com patrocínio da Cosern e Conexão Vivo. A realização é do Centro Cultural Dosol em parceria com a Casa da Ribeira. A programação deste mês de agosto está incluída no Agosto da Alegria 2012, e foi definida a partir do Edital Circuito Ribeira. Foram no total 280 inscrições vindas de todas as regiões do estado e 102 projetos selecionados. 


Orquestra Boca Seca faz parte do time de contemplados e fará show no Nalva Café. Foto: Giovana Rego/Divulgação

CLIPPING: A RIBEIRA VAI FERVER (CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA NA TRIBUNA DO NORTE)

http://tribunadonorte.com.br/noticia/a-ribeira-vai-ferver/228343

O Circuito Cultural Ribeira está de volta, em mais um ano de eventos, com nove edições confirmadas para 2012. Um verdadeiro presente para o dia dos pais, extensivo a toda a família, neste domingo, 12 de agosto. São tantas as opções que é até difícil escolher.  E para quem nunca curtiu a Ribeira num fim de tarde, este poderá ser o momento certo para experimentar, porque os eventos começam a pipocar a partir das 16h, em 15 espaços do velho bairro, e seguem até 22h. Teatro, música, exposições, artes plásticas, performances. De tudo um pouco, com entrada franca ou em troca de alimentos.

Rodrigo SenaO Consulado Bar recebe a banda Blue Mountain, às 19h.O Consulado Bar recebe a banda Blue Mountain, às 19h.

As casas que estão no Circuito são Cultura Clube (avenida Rio Branco); Atelier Flávio  Freitas e Nalva Melo Café Salão (Duque de Caxias); Consulado Bar e Buraco da Catita (rua Câmara Cascudo, antiga “rua das Virgens”); Espaço Funil da Cultura (rua Dr. Barata), Casa da Ribeira, Gira Dança, Woodstock Bar e Espaço à Deriva (rua Frei  Miguelinho); Centro Cultural DoSol, Armazém Hall, Clube de Remo e Galpão 29 (rua Chile); além do teatro Alberto Maranhão (Praça Augusto Severo) e as próprias ruas, que serão “lavadas” em cortejo sob batuta de diversos grupos percussivos.

Mais uma vez, a parceria Casa da Ribeira e Centro Cultural DoSol coloca para a frente uma ideia ótima, cooperativa, que faz as pessoas abraçarem diversas expressões culturais. Qualquer manifestação artística encontra lugar na programação do festival, sempre aos segundos domingos de cada mês. O Circuito Cultural, que está na 10ª edição, está sendo realizado através da Lei Câmara Cascudo, Governo do Estado, Cosern e Vivo.

Exaltar o patrimônio arquitetônico e histórico da Ribeira é um dos objetivos do evento, conforme declarou o diretor da Casa da Ribeira, Edson Silva. “Neste segundo ano estamos ampliando as atividades mais diretamente ligadas à educação, para que todos possam perceber o valor simbólico que este conjunto arquitetônico tem”. O parceiro DoSol, Anderson Foca, defende que muitas pessoas já foram contagiadas pela proposta do evento, que é de agregar valor ao sítio histórico. “A partir da primeira visita, surge uma relação mais afetiva pelo bairro e muitos retornam em dias regulares de atividades”.

ANTENE-SE

O fole de Gilberto Monteiro

Na Casa da Ribeira, a exposição Reflexos, de  Sofia Bauchwitz, abre às 16h,  na sala de artes visuais, mesmo horário em que o músico gaúcho Gilberto Monteiro (foto) sobe ao palco da casa de espetáculos, com o show Sotaques do Fole, dentro do projeto Sonora Brasil Sesc. À noite, 19h e 21h, teatro com Tathiene Thábata,  em Ligeiramente Grávida.

No mundo de Tarsila

O projeto Palco Giratório do  SESC apresenta a peça Vila Tarsila, da Cia Druw (SP), em troca de um quilo de alimento, a partir das 17h, no Teatro Alberto Maranhão. A peça trata das memórias de infância da artista Tarsila Amaral, um ícone do movimento modernista brasileiro, serão levadas ao palco pela Companhia Druw de Teatro, no Projeto Palco Giratório do Sesc. A entrada é apenas um quilo de alimento não-perecível, para o projeto Mesa Brasil do Sesc.

No Centro Cultural DoSol, exibição às 16h do documentário  Lemmy (Documentário); show de Kung Fu Johnny, às 18h, seguido de Molho Negro (PA), Andróide Sem Par e  Simona Talma.

Lá vem a turma do Funil

O Consulado Bar recebe a banda Blue Mountain, às 19h, enquanto o Buraco da Catita faz a festa com o samba do Nós do Beco (16h). Paralela, a rua Dr. Barata será palco para o Missigena Sound System Reggae (DJ), das 18h às 22h. E no novo Espaço Funil da Cultura (foto, com o produtor Camilo Lemos) tem Exposição fotográfica de Fernando Chiriboga e Samba do Carmo (16h).

Mais música no Woodstock Bar, a partir das 17h, com Irados, The Birds Boys, Fullsion, Sinaback, Paraíso Artificial e Fiction Vibe Eletronic. Na mesma Frei Miguelinho, experimento cênico De Janelas e Luas, por – Mayra Montenegro (17h), seguido do Cine à Deriva, com exibição do filme Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho.

No Gira Dança

Na sede do Gira Dança, abertura da loja com souvenirs da casa,  documentário Figuras da Dança, por Hulda Bittencourt (16h30), espetáculo de dança Um Sorriso para Ser Feliz, pela própria Gira Dança (17h), encerrando com a performance Marionetes e Ventrílocos, do Coletivo ES3.

Projeto Trama

O Atelier Flávio Freitas abrigará o recital Tramas, de música e poesia, com  a atriz e escritora Clotilde Tavares (foto), Joca Costa e Heliana Pinheiro (19h). No Nalva Melo Café Salão, a dança do ventre toma lugar e corpo às 17h30, com apresentação do Grupo Tuareg, seguido do balanço da Orquestra Boca Seca.

Ocupação no Clube do Remo

A Cultura Clube inicia a programação no começo da noite com o VJ Helder,  seguido de  Eternamente Jah (19h) e Reggae Rupestre (20h30).  Na rua Chile, o Armazém Hall reedita o Baile Barulhinho Bom, com discotecagem de DJ Magão e Zé Caxangá (apenas música brasileira), a partir das 18h. Mais Djs no Galpão 29, na Eletronic Party (19h). Ainda na rua Chile, das 16h às 22h, novidades no Bazar Cultural, que ocupará as instalações do tradicional Clube do Remo (foto).

CLIPPING: TRIBUNA DO NORTE

O Circuito Cultural Ribeira recomeçará sua maratona de shows, exposições, performances e outras atividades no próximo dia 12 de agosto. Foi divulgado o resultado do edital de ocupação artística do CCR para 2012 – e parte de 2013. Foram selecionados 102 projetos, entre os 280 inscritos. O encontro se realizará sempre no segundo domingo de cada mês, ocupando os aparelhos culturais e também as ruas da Ribeira. Além da programação própria, o CCR vai se conectar com eventos que acontecem no bairro, como o Festival Dosol, Cena Aberta, Goiamum e a Chamada Carnavalesca do Rock.

DoSolEventos acontecem no segundo domingo de cada mêsEventos acontecem no segundo domingo de cada mês

Entre as nove etapas que já estão programadas para acontecer, a extensa programação é dividida entre música, artes visuais e performance, vídeo/debates, teatro e dança.  “Ficamos muito satisfeitos com o número de inscrições que recebemos. A proposta de ocupar parte da programação do Circuito através de um edital foi muito vencedora”,  diz Gustavo Wanderley,  produtor do CCR. A iniciativa do Circuito é do Dosol e da Casa da Ribeira, contando com patrocínio da Cosern, Vivo e Governo do Estado do RN através da Lei Câmara Cascudo. Na edição de agosto o CCR também conta com a parceria do Sesc. O segmento musical do evento contará com um grande número de atrações, entre elas, estão nomes como Rosa de Pedra, Talma e Gadelha, Orquestra Boca Seca, Os Bonies, Nordestenato, Isaque Galvão, Júlio Lima, Nós do Beco, SeuZé, Gustavo Cocentino e Blue Mountain, Khrystal, Pedro Mendes, Faces Negras, Red Boots, Raízes de Concreto, Esso, Mariano Tavares, Ilha da Música, entre outros. No segmento de artes visuais/performance estão Carol Piñero, Coletivo Camafeu, Coletivo ES3, Daniel Torres, Pok, Ramilla Souza, Rosa Maciel, Sofia Bauchwitz, Fábio di Ojuara. O segmento de teatro/dança receberá receberá atuações de Bololô Cia Cênica, Arkhétypos Grupo De Teatro, Cia Gira-Dança, Shaman Tribal, Coletivo Atores à Deriva (com “Recomendações a todos” e “Flúvio e o mar”), Cláudia Magalhães, Facetas, Mutretas e Outras Histórias (com “O bizarro sonho de Steven”, “Hamlet” e “A ida ao teatro”), Nammu Dança, Tuareg, Isaque Galvão e Cláudia Magalhães, Tramas (em recital aos 100 anos de Luiz Gonzaga), entre outros. Na área de vídeo/debates, a Jatobá Filmes exibirá o documentário “Dzi Croquettes”, o filme “Febre do rato” e a mostra “25 Anos Vídeo nas Aldeias”.

Confira a lista completa de atrações aqui.

http://tribunadonorte.com.br/noticia/circuito-ribeira-lanca-lista-de-atracoes/227488

CLIPPING: DIÁRIO DE NATAL

Ribeira voltará a ferver
Com 280 projetos inscritos, edital do Circuito Cultural Ribeira aprovou 102 propostas das mais diversas áreas
Sérgio Vilar
sergiovilar.rn@dabr.com.br

 


Foto: Ana Amaral/DN/D.A Press

A edição 2012 do Circuito Cultural Ribeira divulgou o resultado do Edital de ocupação dos espaços. Música, Artes Visuais e Performance, Vídeo Debates, e Teatro e Dança foram os segmentos contemplados para compor as nove etapas mensais do projeto, sempre no segundo domingo de cada mês (intervalo apenas em janeiro). A primeira edição tem início dia 12 de agosto e foi incorporada à programação do Agosto da Alegria.

Foram no total 280 inscrições vindas de todas as regiões do estado e 102 projetos selecionados. “Ficamos muito satisfeitos com o número de inscrições que recebemos. A proposta de ocupar parte da programação do Circuito através de um edital foi muito vencedora”, disse Gustavo Wanderley, produtor do Circuito. O Circuito Cultural Ribeira ocupará os aparelhos culturais do bairro e também as ruas da Ribeira. Os lugares onde cada artista irá se apresentar serão divulgados a cada edição do projeto. O desta primeira etapa será publicado nesta sexta-feira, segundo o produtor Anderson Foca.


Evento retoma atividades no dia 12 deste mês, incorporando programação. Foto: Adriana Amorim/DN/D.A Press
Conexão

Além da programação própria, o CCR vai se conectar com vários eventos que acontecem no território criativo da Ribeira como o Festival Dosol, Cena Aberta, Goiamum Audiovisual e a Chamada Carnavalesca do Rock. A iniciativa do Circuito é do Dosol e da Casa da Ribeira e conta com patrocínio da

Cose
rn, Vivo e Governo do Estado do RN através da Lei Câmara Cascudo. Na edição de agosto o CCR também conta com a parceria cultural do Sesc.

CLIPPING: JORNAL DE HOJE (RN)

Projeto cultural conquista o público potiguar
http://jornaldehoje.com.br/projeto-cultural-conquista-o-publico-potiguar/

Sim, o Circuito Cultural Ribeira está de volta! Com data de início marcada para o segundo domingo de Agosto, dia 12, o Circuito este ano vem com novidades. Uma delas é o edital de ocupação artística que oferece mais de 100 oportunidades para artistas e produtores inscreverem suas propostas de ocupação para os 11 espaços disponíveis no Circuito e ainda para as ruas, travessas e becos da Ribeira.

O projeto terá 8 edições do Circuito entre agosto de 2012 até maio de 2013 (com exceção de janeiro) e tem a estimativa de que mil artistas participem em cerca de 200 atividades que serão realizadas em 13 espaços para cerca de 80 mil pessoas.

“Decidimos democratizar o acesso, através de edital, para que, além dos artistas já consolidados e conhecidos do público, novos artistas possam ter espaço.” disse Henrique Fontes (foto), diretor artístico da Casa da Ribeira.

O edital ficará aberto até o dia 25 de julho, mas os projetos já serão avaliados assim que derem entrada. Desta forma, artistas que desejem se apresentar já em agosto, devem se apressar em preencher a ficha e enviar links de video, tudo online através do site: www.circuitoculturalribeira.com.br

O Segundo ano do Circuito, além da novidade do edital, traz ampliações importantes. Esse ano através da Lei Câmara Cascudo, do Governo do Estado, duas empresas importantes patrocinaram o projeto: A Vivo e a Cosern, possibilitando a realização de 9 edições entre agosto de 2012 e maio de 2013.

“O foco é na continuidade. Não queremos realizar o circuito apenas eventualmente. A idéia é que o Circuito tenha calendário fixo na vida do natalense e dos turistas que passam por aqui.” Disse Anderson Foca, diretor do Centro Cultural DoSol. Foca ainda comentou que a meta é realizar uma virada proponentes do Circuito, a Casa da Ribeira e o DoSol darão entrada com um projeto na Lei Câmara Cascudo ainda este mês.

A programação multicultural tem a missão de reunir na mesma plataforma de gestão, os espaços culturais da Ribeira. A intenção é consolidar o bairro com polo de atração e território criativo. “Daremos uma ajuda de custo às casas de show no valor entre R$ 150 e R$ 500 e o cachê para os artistas será de R$ 500,00”.

O projeto foi inicialmente apresentado à Secretaria Executiva da Lei Câmara Cascudo no valor de R$ 345 mil. A Comissão achou alto o valor e reduziu para R$ 270 mil (80% descontados do ICMS e 20% de recursos próprios das empresas patrocinadoras).

Uma prioridade do Circuito Ribeira este ano é quanto à educação patrimonial. A meta é, a cada edição, realizar seminários, vivências e criar marcos simbólicos para que as pessoas que transitem pela Ribeira em dias de Circuito possam desenvolver um afeto pelo bairro e um desejo de cuidar deste nosso patrimônio.

“Traremos nomes importantes do cenário nacional para falar sobre preservação e uso dos patrimônios históricos e faremos mais ações em parceria com artistas, a exemplo do que foi a lavagem do Beco e as intervenções de grafite do ano passado. As pessoas precisam conhecer a Ribeira para poder amá-la” Disse Edson Silva, diretor comercial da Casa da Ribeira.

Para reforçar a aposta na valorização desta área de patrimônio histórico tombado pelo IPHAN e nas organizações criativas que o Circuito fomenta, os organizadores do Circuito Ribeira estão criando um selo: “Bairro da Ribeira – Território Criativo”, que será lançado já no primeiro evento em agosto.

“A Cidade precisa estar conectada por afetos. Ampliar a percepção do mapa mental de cidade para que as pessoas possam entender que ela precisa estar viva e criativa. Esta é nossa maior aposta.” Disse Gustavo Wanderley – Diretor de Planejamento e projetos da Casa da Ribeira.

Os espaços que já estão confirmados e vão participar do Circuito Cultural Ribeira, são: Casa da Ribeira; Dosol; Espaço à Deriva; Espaço Cultural Gira Dança; Armazém Hall; Central Ribeira Botequim; Atelier Flávio Freitas; Nalva Melo Café Salão; Consulado Bar; Buraco da Catita; Let’s Rock; Cultura Clube; Galpão 29, além de atrações e exposições na rua.

O edital de ocupação artística já está disponível para consulta no site www.circuitoculturalribeira.com.br. O resultado será divulgado dia 30 de julho. Concorrerão os segmentos Música, Artes Cênicas, Performance e Artes Visuais, em seus variados subgêneros. Um curador especialista em cada área fará a seleção.