Ateliê se despede do endereço na Duque de Caxias, mas permanece na Ribeira

11106426_10203218995316298_1124578464_n

O Ateliê Bar e Petiscaria se despede de seu endereço na Avenida Duque de Caxias neste domingo, dia 5 de abril. Mas não se preocupe, trata-se apenas de uma mudança de local! A partir da quinta-feira, 9 de abril, o Ateliê passa a funcionar na Rua Chile, 39, onde era a antiga pizzaria Calígula.

“Estamos nos mudando para oferecer uma estrutura melhor, com um espaço mais amplo, que vai permitir ao pessoal que frequenta o Ateliê curtir os shows que a gente tem organizado com mais conforto e segurança. Com certeza será uma mudança para melhor”, explica André Maia, proprietário do Ateliê Bar e Petiscaria.

A despedida do Ateliê será realizada no domingo (5) e terá show da banda Fukai, que recentemente lançou seu novo disco, Abaeté, pelo selo DoSol. O evento acontece às 19h e a entrada custará R$ 5.

Confirme presença no evento: https://www.facebook.com/events/1587954061448728/

Despedida do Ateliê com show do Fukai
Quando? Domingo (5)
Que horas? 19h
Onde? Ateliê Bar e Petiscaria (Av. Duque de Caxias, 182 – Ribeira)
Entrada: R$ 5

#Ribeirando: Assista o mini-doc da Virada Cultural Natal 2014 – Parte 1

Circuito Ribeira Indica RIBEIRANDO

Foram mais de 30 mil pessoas lotando as ruas da Ribeira de amor e alegria, em mais de 24 horas de programação gratuita! Assim foi a Virada Cultural Natal 2014, que na edição realizada nos dias 20 e 21 de dezembro contou com mais de 70 atrações e uma programação pra lá de diversificada. Teve shows musicais, espetáculos de teatro e dança, exposições fotográficas, exibições de filmes, encontro de foodtrucks, além de toda uma programação voltada para o público infantil.

Pra mostrar um pouco como foi essa grande festa, preparamos um mini-doc com alguns depoimentos legais de quem fez e faz a Virada Cultural Natal acontecer. Mas essa é a primeira parte do mini-doc, afinal, com tantas atrações, não coube tudo num vídeo só!

#Ribeirando

O mini-doc da Virada Cultural Natal 2014 estreia uma série de vídeos intitulada #Ribeirando, que vai retratar o dia-a-dia cultural e o cotidiano do bairro da Ribeira. Aguardem que vem mais coisa por aí!

Assista o mini-doc da Virada:

Circuito indica: Banda Independente da Ribeira desfila hoje pelo Centro Histórico

Uma das iniciativas pioneiras em defesa da revitalização do bairro, a Banda Independente da Ribeira chega ao seu 17º ano em atividade incentivando o carnaval de rua pelos bairros que integram o Centro Histórico de Natal. Após quatro ensaios no Ateliê Bar e Petiscaria, que acontecem desde janeiro, nesta sexta-feira (6) a Banda toma conta das ruas da cidade para seu tradicional desfile, começando no Beco da Lama, na Cidade Alta. A concentração começa às 18h, com saída marcada para as 19h. O ponto final é a Ribeira, no Ateliê.

banda_indepente_ribeira_1

Quando surgiu, o “Grêmio Recreativo Litero-Etílico Cultural e Esportivo Banda Independente da Ribeira” tinha como proposta principal alimentar o processo de revitalização do bairro frente à possível falta de continuidade administrativa do projeto. A ideia era trazer as pessoas à Ribeira e alimentar a imprensa com divulgações das potencialidades do local, mantendo acesa a chama da revitalização.

“A banda começou há 17 anos, numa reunião de amigos, com Haroldo Maranhão e Leonardo Godoy. O intuito era ajudar na revitalização da Ribeira. A banda tem o objetivo de despertar a população para o patrimônio histórico e cultural da cidade”, conta Petit das Virgens, diretor de imprensa da Banda Independente da Ribeira.

banda_indepente_ribeira_2

“É uma forma de fazer com que as pessoas se aproximem dos prédios históricos, uma maneira de, com o frevo e o carnaval, atrair as pessoas para a importância da conservação do nosso patrimônio histórico”, completa.

Hoje a Banda Independente da Ribeira é composta por 25 músicos e tem como maestro Antônio de Pádua. “Já houve outros dois maestros, Neemias Lopes e Gilberto Cabral”, diz Petit das Virgens.

Desfile

O desfile da Banda parte do Bar de Nazaré, no Beco da Lama, e passa por uma série de pontos históricos: Igrejas Matriz e do Galo, Palácio Potengi (Praça 7 de setembro), Relógio do SESC e Praça Augusto Severo, na Ribeira.

A expectativa da organização é de um público de cerca de oito mil pessoas. As camisetas estão custando R$ 30 no lote à venda nesta sexta-feira e podem ser reservadas pelos telefones 9605.1981 e 9111.1622.

Petit das Virgens ressalta que a compra não é obrigatória, mas é bem-vinda por ajudar a custear o pagamento dos músicos da Banda, a confecção da camiseta e também o trabalho do artista Flávio Freitas, que fez a arte deste ano.

Circuito indica: Livro sobre cena musical da Ribeira dos anos 90 será lançado no El Rock

chile_3

A efervescência artística vivida em Natal sempre encontrou terreno fértil na Ribeira, seja em contextos como o início do século 20, com a construção da Praça Augusto Severo; com os cafés dos tempos da Segunda Guerra; ou com a boemia marginal que fervia na Ribeira dos anos 60. Mas após passar décadas com um cotidiano apagado para a maioria dos natalenses, o bairro ganhou impulso no final da década de 90 e passou por uma nova transformação, que contribui para que as pessoas “descessem a ladeira” e convivessem mais ativamente com o bairro de novo. E tudo isso movido por um cenário musical marcado pelo rock e pela alternatividade.

É sobre esse período de transformações experimentadas pela Rua Chile no final da década de 90 que trata o livro “Nos Tempos do Blackout”, escrito pelo historiador potiguar Carlos Henrique Cunha. A obra será lançada nesta quarta-feira (4), no El Rock, às 19h30.

De acordo com Carlos, o cerne do livro é discutir como a cena musical que se formou entre 1996 e 2004 conseguiu transformar as imagens que a população natalense tinha da Ribeira. “O bairro deixou de ser visto como espaço marginal e foi transformado num espaço atrativo para a população de Natal. Com essa cena, a classe média de Natal voltou a frequentar a Ribeira”, diz.

Um carinho especial pela Ribeira

O livro é fruto de uma pesquisa de mestrado, mas não só isso: também é resultado de um envolvimento pessoal com o bairro histórico. “Foi na Ribeira que eu passei esse período entre o fim da minha adolescência até a idade adulta. Eu tenho um carinho especial pela Ribeira”, comenta.

CARLOS

Carlos Henrique conta que mantém o hábito de passear pelo bairro para observar o cotidiano e conversar com as pessoas da região. “Às vezes eu vou, como um bolo da moça com um caldo de cana, converso com o pessoal do bairro. Sou professor de História e sempre tive apego por essa questão de patrimônio”, explica.

A transformação do bairro histórico

Conforme explica o escritor, antes de 1994, a Rua Chile era “algo extremamente marginal”. “Você ia para Rua Chile e tinha o bairro não tinha uma imagem muito legal”, diz. Porém, com a abertura do bar Blackout, em 1997, que funcionava no espaço ocupado hoje pelo Galpão 29, o que evidenciou a cena musical da cidade, a Rua Chile passou a assumir uma identidade “meio cult”, como explica Carlos Henrique.

chile_1

“E depois de 2000, quando tem a abertura do Downtown [boate] e o Festival Mada passa a acontecer na Rua Chile, o bairro começa ser um dos cantos mais frequentados e heterogêneos da cidade”, conta Carlos Henrique. “Todo mundo se encontrava na Ribeira, quem gostava do blues, do rock, do reggae, ou até quem não gostava disso, mas ia lá pra se divertir e paquerar. Se encontrava de tudo ali, apesar da imagem que ficou do rock. A Rua chile se transformou na última fronteira rock and roll da cidade”, completa.

A Ribeira nos dias de hoje

chile_2O recorte de tempo retratado no livro se estende até 2004, com o episódio da morte do empresário Paulo Ubarana, ex-proprietário do Blackout. O historiador considera que, embora ainda existam iniciativas importantes para manter a Ribeira viva e pulsante, essas ações ainda pontuadas em grandes eventos e festivais, sem a frequência que tinham nos tempos do Blackout.

“Mas eu sei que tem um público grande que quer voltar para a Ribeira, existe uma população em Natal que está ávida em voltar a frequentaro bairro e não só em grandes eventos”, explica.

Na opinião de Carlos Henrique Cunha, há uma falta de interesse em transformar do poder público tornar o bairro mais atrativo. “Falta o poder público no sentido de criar uma infraestrutura atrativa, de segurança e iluminação, como ocorre no Pelourinho, onde uma área central é fechada, cercada, não circula carro, tem câmera para evitar os assaltos. Acho que uma ideia boa seria fechar um trecho depois das 17h e transformar esse espaço em um polo cultural”, analisa.

Sobre o autor

Nascido em Natal, Carlos Henrique Pessoa Cunha é formou-se em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Sua carreira acadêmica também conta com mestrado em História e Espaço, pela UFRN, além de especialização em História do Brasil pela Universidade Potiguar (UNP). Atualmente, é professor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), no município de Parnamirim. “Nos tempos do Blackout” é o seu segundo livro. Em 2013, lançou “Podres Poderes: política e repressão”, tratando da estruturação do sistema político-repressivo no Brasil e no Rio Grande do Norte nos anos 1960.

Serviço

Lançamento do livro “Nos tempos do Blackout” – Carlos Henrique Cunha

Onde? El Rock Bar (Antigo Hell’s Pub) – Rua Raimundo Chaves, 1892

Quando? Quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Que Horas? A partir das 19h30

7 bandas que tocam neste sábado de Virada Natal que você precisa conferir

O que não falta é banda boa na programação da Virada Cultural Natal. Tem atrações dos mais variados estilos pra atender aos gostos mais exigentes.

Para você não se perder, fizemos uma listinha com algumas das bandas que vão tocar. Mas vale dizer: tem muito mais na programação.

1 – Forasteiro Só (RN)

banda_forasteiro_so

Capitaneada por Lipe Tavares (SeuZé), a banda começou a tocar esse ano e já tem disco lançado. O álbum de estreia, “Chuva”, traz um pouco da melancolia e introspecção que o próprio nome da banda já sugere. Com letras que tratam de desilusões amorosas e de amenidades do cotidiano, o registro conta com 10 faixas. O quarteto toca às 18h do sábado, no Palco Caixa (Av. Tavares de Lira). Recomendamos sacar a banda antes de descer a ladeira.

Escute: https://soundcloud.com/forasteiroso

2 – Rosa de Pedra

banda_rosa_de_pedra

A banda Rosa de Pedra traz a Virada sua música autoral com sotaque nordestino, que une sonoridades do tradicional com o contemporâneo-urbano. O show do grupo no sábado rola às 23h, no Palco Ribeira (Armazém Hall – Rua Chile), com a participação especial de Arthur Pessoa, da banda Cabruêra, que toca em seguida.

Escute: https://soundcloud.com/rosadepedra

3 – Fukai (RN)

fukai_2

A Fukai sobe no palco do Polo Rock (DoSol – Rua Chile) às 2h. O quinteto se apresenta músicas de seu primeiro EP, somadas com novidades do seu próximo disco, que será lançado em breve dentro do Projeto Incubadora, pelo DoSol. No novo trabalho, elementos de música brasileira permeiam ainda mais as influências da banda e letras em português passam a ser maioria, embora a mistura do idioma com inglês e espanhol permaneça – o que já se tornou uma marca deles.

Escute: https://soundcloud.com/fukai-1

4 – Skrotes (SC)

banda_skrotes

O trio instrumental Skrotes já se apresentou em solo potiguar durante o Festival Natal Instrumental no último fim de semana, mas quem perdeu pode conferir de novo. Formado por Guilherme Ledoux (bateria), Chico Abreu (baixo) e Igor de Patta (teclados), O Skrotes promete um show que mistura elementos diversos, indo do jazz, rock, funk, salsa, punk até a música erudita.

Escute: https://soundcloud.com/skrotes

5 – Camarones Orquestra Guitarrística (RN)

Com seu quinto disco em fase de gravação, a banda instrumental Camarones Orquestra Guitarrística se apresenta na Virada Cultural Natal 2014 de olho no novo trabalho. Eles marcam presença na Virada às 23h do sábado, no palco do DoSol, Polo Rock da Virada. Já rodados pelas estradas do Brasil e do mundo, os Camarones vão fechar o ano com quase 100 shows nas costas, incluindo tours pelo Brasil, além de países da América do Sul e da Europa.

Escute: https://soundcloud.com/camaronesguita

6 – Super Amarelo (AL)

banda_superamarelo

Formada em 2005, a banda Super Amarelo (AL) é um trio que aposta em uma pegada indie noventista, além de pitadas de grunge e pop. Seu disco mais recente é intitulado “For Your Babies” e foi lançado em outubro deste ano, trazendo dez faixas. Eles tocam na Virada no Polo Rock (Dosol – Rua Chile), às 19h do sábado.

Escute: http://superamarelo.bandcamp.com/

7 – Moloko Drive (RN)

Com EP de estreia lançado este ano, a banda Moloko Drive é mais uma atração do Polo Rock da Virada

Com EP de estreia lançado este ano, a banda Moloko Drive é mais uma atração do Polo Rock da Virada

Com um EP lançado no início do segundo semestre e um single que acaba de sair do forno, às vésperas da Virada, a potiguar Moloko Drive vem para o DoSol às 21h do sábado com bastante coisa nova pra mostrar. Apesar de recente, a banda conta com músicos remanescentes de outros grupos que permearam a cena de rock potiguar nos últimos anos. O som sujo e valvulado do quarteto é uma opção pra quem gosta de um rock mais puxado para os clássicos.

Escute: https://soundcloud.com/moloko-drive

Agende-se: Baixe a programação em PDF e não perca nada da Virada Natal

cabecalho_face

Com a verdadeira maratona de atrações da Virada Cultural Natal, muita coisa vai acontecer na Ribeira simultaneamente. E para ajudar você nessa árdua tarefa de definir o que assistir durante as 24 horas de arte, amor e alegria, nós preparamos uma versão em PDF da programação. É só baixar o arquivo e se agendar para estar no lugar certo e na hora certa. Tem até espaço pra anotações.

Clique aqui e baixe a programação completa. Tá bonitona!

6 atrações que vão rolar no Polo Ateliê e que você precisa anotar na sua agenda

O Ateliê Bar e Petiscaria preparou uma programação bem diversificada para a Virada Cultural Natal 2014. Com atrações tanto no sábado (20) como no domingo (21), o Polo Ateliê vai fazer você dar uma voltinha pela Avenida Duque de Caxias durante as 24 horas de arte, amor e alegria.

Confira algumas das atrações do Polo Ateliê que você não pode perder:

1 – Standup Comedy do Humor na Ribeira

HUMOR

Vai ter espaço para standup comedy no Polo Ateliê. Com uma edição especial do antigo “Humor na Ribeira”, estarão no elenco da noite Alice Carvalho, Amaro B. Neto e Fabiano Barbosa, além de participação musical de Natália Noronha (que também toca na banda Plutão Já Foi Planeta). Ou seja, as risadas já estão garantidas: basta chegar no Ateliê as 20h do sábado para conferir.

2 – Feijoada e samba de raiz com Quarteto Potiguar do Samba

(Foto retirada de http://www.lugarzinho.com/)

(Foto retirada de: http://www.lugarzinho.com/)

Que tal descer para a Ribeira no domingo pra comer uma boa feijoada ao som de um samba de raiz? Às 12h30 do sábado (20), o Polo Ateliê vai trazer você para o bairro histórico de Natal puxado pela barriga. Se já não bastasse o feijão, ainda tem o Quarteto Potiguar do Samba para animar a domingueira. Não vai perder, né?

3 – Rockabilly da banda The Bop Hounds

Com passagens já garantidas para tocar em Las Vegas no próximo ano, a banda The Bop Hounds mostra seu rockabilly cinquentão no domingo de Virada, às 18h do domingo (21), no Polo Ateliê. Só pra dar uma ideia: algumas das influências dos caras são Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Johnny Cash e Chuck Berry. E aí, instiga boe?

4 – Rock and roll pedrada do Kung Fu Johnny

KUNG-FU

Depois de elogiadas apresentações nos festivais DoSol e Mada, a banda Kung Fu Johnny toca no Polo Ateliê às 19h do domingo (21). No repertório, já dá pra esperar músicas como “Woman” e “Say I Want”. Não dá pra ficar alheio a esse rock danado de bom.

5 – Apresentação gourmet do Baile Funk Emblemas

Emblemas

Mesmo com agenda lotadíssima, a elite do baile funk potiguar Emblemas abriu um espaço na sua intensa programação para uma apresentação gourmet no Polo Ateliê no domingo (21), às 20h. O retorno do Emblemas acontece após um hiato de dois anos. Depois dessa apresentação, segundo Danina Fromer, só será possível ver novos shows do Emblemas em ocasiões especiais e cruzeiros.

6 – Debate sobre música autoral do RN

Foto retirada de: http://guiadoestudante.abril.com.br/

Foto retirada de: http://guiadoestudante.abril.com.br/

Atenção, músicos! Vai ter uma galera boa reunida pra uma conversa sobre a música autoral do RN no Polo Ateliê, às 16h do domingo (21). O debate vai ser intercalado por apresentações de vários músicos potiguares. Eis os participantes: Felipe Tavares, Juão Nin, Natalia Noronha, Luiz Gadelha, Gustavo Arruda, Sapulha Campos, Leonardo Palhano e Bruno Alexandre. Boa pedida, hein?

***

Vale dizer que a programação do Polo Ateliê não acaba por aí. Portanto, confere aí o que vai rolar na íntegra:

Sábado (20)
18h – 6º Encontro do Clube dos Livros Rolés com o livro “O Pequeno Principe”
20h – Humor na Ribeira Standup Comedy
22h – Opus 3 (Gilberto Cabral, Nino e Barbosa) convidam Laecio Costa

Domingo (21)
12h30 – Quarteto Potiguar do Samba (samba raiz com feijoada)
16h – Música Autoral do RN – Conversa com músicos intercalada por apresentações – Participantes: Felipe Tavares, Juão Nin, Natalia Noronha, Luiz Gadelha, Gustavo Arruda, Sapulha Campos, Leonardo Palhano e Bruno Alexandre.
18h – Bop Hounds
19h – Kung Fu Johnny
20h – Emblemas

Viradinha tem 5 atrações para a criançada se divertir no domingo na Casa da Ribeira

Peça "Mamãe Retrô" está entre as atrações da Viradinha Cultural

Peça “Mamãe Retrô” está entre as atrações da Viradinha Cultural

No domingo da Virada, 21 de dezembro, a Casa da Ribeira abre espaço para uma programação voltada para a criançada. Tem oficina de artes visuais, peças teatrais, exibição de filmes e música acústica para a molecada se divertir em meio aos festejos da Virada. A programação começa às 9h e segue até o fim da tarde.

Confira a seguir as cinco atrações da Viradinha:

1 – Oficina de artes visuais

Comandada por Jean Sartief, a oficina de artes visuais começa às 9h e terá como foco o público infantil. Ah, mas nada impede que os pais participem junto! Aliás, isso é até incentivado por Jean Sartief. É programação para pais e filhos.

2 – Peça: “Mamãe Retro”

Mamãe Retrô integra a programação da Viradinha Cultural

Mamãe Retrô integra a programação da Viradinha Cultural

Às 11h, a Casa da Ribeira tem teatro para todas as idades com a peça “Mamãe Retro”, que resgata ícones infantis da década de 80. Que tal reencontrar a nave da Xuxa ou brincar de Forte Apache, Aquaplay, Pogobol, Boneca Susi, Fofolete e Falcon? Chupar bala Xaxá e tomar Grapete? Assistir “Os Trapalhões” no Cine Nordeste ou viajar com o Balão Mágico? Pois bem, a peça segue nessa linha. Os risos são gratuitos e garantidos!

3 – Viradinha no Cinema

Com Curadoria do pessoal da Casa da Praia, vai ter cinema para todas as idades na Casa da Ribeira com a Viradinha no Cinema. As exibições começam às 13h30.

4 – Projeto Acústico Musical Infantil

Carmem Pradella promete um espetáculo musical voltado para o público infantil logo depois da sessão de cinema, às 15h30, também na Casa da Ribeira. Vale a pena conferir.

5 – Combo Tropa Trupe

tropa-trupe

Um trio de palhaços um tanto avoados, Fino, Sula e Piruá, apresentam seus melhores números em “Combo”, espetáculo que acontece às 17h30 do domingo e traz médicos lunáticos, malabares, muita magia e um pouco de equilíbrio. Ou seja, é garantia de muitas gargalhadas.

5 motivos para dar uma passada no Polo Nalva no domingo de Virada Natal

Localizado na Avenida Duque de Caxias, o Nalva Melo Café Salão vai oferecer um mix artístico e cultural no Polo Nalva da Virada Cultural Natal 2014. São atrações de literatura, música, cinema, fotografia e moda. Ou seja, tem coisa boa para todos os gostos. Nalva abre o café salão mais bacana da cidade durante a Virada Natal no domingo (21), às 12h.

Confira a seguir cinco motivos para não perder a programação do Polo Nalva neste fim de semana:

1 – Show de Lysia Condé – “A Doce Presença de Ivan Lins”

lysia_conde

Jow Ferreira (violão), Lysia Condé (voz), Darlan Marley (bateria) e Airton Guimarães (contrabaixo acústico)

A cantora Lysia Condé apresenta às 16h30, no Polo Nalva, o show “A Doce Presença de Ivan Lins”. No repertório, canções conhecidas e também menos conhecidas do grande público. Ao lado dos talentosos Jow Ferreira (violão e direção musical), Airton Guimarães (contrabaixo acústico), e Darlan Marley (bateria), Lysia promete uma apresentação com sofisticados arranjos e delicada interpretação.

2 – Mostra Cinema Potiguar

Três Vezes Maria foi um dos roteiros vencedores do edital Cine Natal 2013

Três Vezes Maria foi um dos roteiros vencedores do edital Cine Natal 2013

O Polo Nalva vai abrir espaço para a exibição da Mostra Cinema Potiguar, que a partir das 18h30 terá os curtas “Três Vezes Maria” e “Janaína Colorida Feito o Céu”, da Caboré Filmes, e ainda o documentário “O (impreciso) Mar que nos Move”, do Grupo De Maré Filmes.

3 – Roda de Moda com designer Jardel Liter

A valorização da Moda no Rio Grande do Norte vai estar em debate em uma roda proposta pelo designer Jardel Liter. O encontro começa às 15h30 do domingo.

4 – Exposição fotográfica “Véu em Solo – Sertão Central”

solares

Exposição traz Civone Medeiros em meio ao poético cenário sertanejo de Lajes do Cabugi

Mais um motivo para “colar” no Polo Nalva durante a Virada Natal é o belíssimo ensaio produzido pelo Coletivo Solares, que traz Civone Medeiros em meio aos poéticos cenários de Lajes do Cabugi. Concebido e realizado em parceria entre Nalva Melo e Flávio Aquino, o ensaio mostra o universo masculino e feminino da Mulher Sertaneja dentro de um contexto surreal, cheio de sonho e psicodelia. A partir das 13h do domingo já dá pra conferir.

5 – Brechó Da Li

Se você curte garimpar roupas em brechós, essa dica vai ser muito útil. O Polo Nalva vai receber a partir das 14h o “Brecho da Li”. É isso mesmo: já vá separando uns trocados e venha com disposição para procurar coisas legais.

Confira os selecionados do 3º Festival de Cenas Curtas, que acontece na Casa da Ribeira

Os participantes do 3º Festival de Cenas Curtas Natal já estão definidos. Inserido na programação da Virada Cultural Natal 2014, o festival acontece no sábado, com início às 23h30, na Sala Cosern de Teatro da Casa da Ribeira. Promovido pela Casa, o 3º Festival de Cenas Curtas contará com apresentações de cinco cenas.

Veja a seguir a lista das cenas selecionadas:

1 – ABBONDANZA – Francisco Thiago Cavalcanti (CE/RJ)

cenas_curtas_abbondanza

Sinopse: Abbondanza é uma travesti que parece ter saído de um filme do Almodóvar, embora a pesquisa dramatúrgica tenha sido mais aprofundada na estética onírica de Fellini. Abbondanza vive uma situação-limite onde ela precisa passar em um teste de teatro para sobreviver.

2 – MOINHOS DE VENTO – Tropa Trupe/Palhaço Piruá (RN)

cenas_curtas_moinhos_de_vento

Sinopse: Piruá está preso em um manicômio por jurar que é Sancho Pança, o fiel escudeiro de Dom Quixote. Esperando ser resgatado pelo cavaleiro andande, conta as histórias de como venceram juntos a batalha contra os gigantes moinhos. Direção: Walter Velázquez (ARG)

3 – SUJINHO – George Holanda (RN)

cenas_curtas_sujinho

Sinopse: O palhaço Canudo vai mais uma vez ao palco tentar se apresentar, mas as coisas não acontecem como o esperado e pequenos detalhes podem gerar grandes problemas.

4 – O TEMPO E A CRIANÇA – Kizambe (RN)

cenas_curtas_kizambe

Sinopse: “O tempo e a criança” é uma performance que propõe uma reflexão da nossa relação com o tempo, desde criança até a fase adulta, aliando objetos como: metrônomo, caixinha de música, malabares e uma série de percussões manipuladas ao vivo.

5 – ZANOIA – Lívia Falcão (PE)

cenas_curtas_zanoia

Sinopse: Vinda de um tempo que não se sabe ao certo dizer qual é, Zanoia chega à cena sem entender bem “que mundo é esse?”. Da entrega desse momento surgem as preciosidades que farão deste encontro algo inesquecível.

Ajuda de custo

Os selecionados receberão ajuda de custo de R$ 400,00 por cena selecionada. Os artistas terão até 40 minutos para a montagem, além de um ensaio na Casa da Ribeira, no dia 20 de dezembro de 2014, no período da manhã, conforme agendamento prévio feito pela produção.

Conduzido pela atriz Adelvane Néia (Palhaça Margarida), o Festival de Cenas Curtas chega a sua terceira edição ultrapassando os limites do formato “mostra”. A ideia é transformar este momento em uma grande celebração entre os envolvidos nas artes cênicas do Rio Grande do Norte e do país – serão aceitas inscrições de todo o Brasil.

Bebidas e aperitivos

Como acontece todos os anos, entre cada cena apresentada, será disponibilizada a venda de bebidas e aperitivos para os espectadores dentro da sala de espetáculo, uma exceção aberta pela Casa da Ribeira exclusivamente para esta noite. No entanto, o público será gentilmente informado que, uma vez que a cena comece, não haverá venda e nada que possa interferir no desempenho de atores e atrizes.